quinta-feira, dezembro 31, 2009

Resoluções de ano-novo + os melhores e piores de 2009



2009 foi um dos melhores anos que já tive, talvez o melhor de todos. Sinceramente não queria que ele acabasse, mas já que está acabando, o melhor que eu posso fazer é esperar que 2010 seja um ano ainda melhor.

Ano passado eu fiz uma listinha do que queria conquistar em 2009, foi uma lista simples, mas que me trouxe experiências incríveis. Não podia, portanto, deixar de fazer uma em 2010. E como agora tenho esse blog, é melhor ainda poder dividir essa lista com todos os meus amigos leitores e blogueiros. Vocês podem, inclusive, puxar a minha orelha caso percebam que não estou seguindo as minhas diretrizes para um ano melhor em 2010 =D

Bom, aí vai:

1) Sair da casa dos meus pais e morar sozinha.
Esse é o mais difícil, mas também o mais importante.

2) Aprender alguma coisa que eu acredite que não tenho mais idade para aprender.
Desenhar, patinar no gelo, fazer estrelinha...

3) Escrever pelo menos dois posts por semana n'O Gato Risonho.
É difícil, mas não impossível. Xô preguiça!

4) Praticar Yoga pelo menos duas vezes por semana, sendo uma delas na academia.
Afinal, eu estou pagando mensalmente pra quê?

5) Andar de bicicleta todo domingo de manhã.
A melhor parte é que já tenho companhia :)

6) Abrir a minha empresa.
Tá na hora de deixar as coisas mais profissionais!

7) Publicar o meu novo portfolio.
Tá tudo pronto. Olha a preguiça aí de novo...

8) Comer melhor.
Eu sou uma vergonha de vegetariana. Do tipo que só come batata, sabe?

9) Voltar a estudar.
Não precisa ser na faculdade, mas me manter estudando o ano todo é a meta.

10) Não deixar que a falta de tempo me impeça de fazer as coisas de que eu gosto.


Para fechar esse ano ainda melhor, a Bia do Livros de Bia me convidou para participar de uma brincadeira ótima. Adorei!

É assim: deve-se escolher os melhores (e piores) que passaram aqui pelo blog em 2009! Só que como eu fiz poucas postagens esse ano e li muito mais do que escrevi aqui, vou ter que dar uma modificada e falar dos melhores e piores que EU li durante o ano. Espero que ela não fique brava por essa pequenina mudança ;)

Melhor livro de suspense:
Não acho que li um ótimo livro de suspense esse ano... Fica pro próximo.

Melhor livro de romance: Crepúsculo, Stephenie Meyer.
Minhas desculpas para quem não gosta, mas o amor entre o Edward e a Bella é tão forte que eu suspiro só de lembrar!

Melhor capa de livro: Retalhos, Craig Thompson.
Linda capa e linda história!

Pior capa do ano: Os robôs do amanhecer, Isaac Asimov.
Tudo bem, o livro é antigo, mas que capa é essa? Não faz nenhum sentido com a história. Robôs gigantes que arrancam árvores de copa redonda e lisa pelas raízes??? Eles devem ter se enganado na gráfica!

Autor surpresa do ano: Isaac Asimov.
Sei que não é surpresa pra mais ninguém, mas eu nunca tinha lido e poderia jurar que não gostaria tanto assim de um livro que se passa em um planeta distante cheio de robôs. No fim, amei. Vou procurar mais livros do autor!

Melhor livro de um autor nacional: A Casa, André Vianco.
É de fazer a cabeça explodir!

Melhor livro clássico: O Hobbit, J. R. R. Tolkien.
Acho que não preciso dizer nada, né? Lado nerd gritando de felicidade durante todo o livro. Hehe...

Livro decepção: Maya Fox – A predestinada, Silvia Brena e Iginio Strafii.
A capa é tão linda que eu nem imaginei que não conseguiria passar das primeiras páginas...

Melhor personagem feminina: Princesa Alera de Legacy, Cayla Kluver.
Porquê amo mulheres fortes e que sabem se divertir, mesmo que, as vezes, a diversão dure pouco...

Melhor personagem masculina: Ian de A Hospedeira, Stephenie Meyer.
Sei que ele tenta matá-la no começo, mas é o final que conta!!!

Melhor da Nora Roberts:
Não li nenhum dela esse ano. Espero ler muitos no ano que vêm :)

Sei que estou esquecendo de vários outros livros que li, mas é isso que dá não postar as sinopses logo depois de terminar...

Então, meninos e meninas, esse é o último post do ano. Mas, como pretendo seguir minha listinha de 2010, nos veremos em breve! Uma ótima virada de ano para todos vocês!!!

quarta-feira, dezembro 30, 2009

Selinhos de fim de ano!!!

Fiquei um bocado de tempo longe do blog, a falta de tempo parece que duplica no final do ano, não é? Mas durante esses últimos dias, ganhei alguns lindos presentinhos de meus amigos blogueiros. Adoro receber comentários e selinhos! É a melhor forma de incentivo para continuar com o blog. Espero que quem estou indicando para receber os lindos selinhos se sintam tão estimados quanto eu, esta é a minha intenção ao indicá-los.
O primeiro e o segundo selinhos foram me dados pelo Leo do UpiDupi. Obrigada Leo, adorei os selinhos e adoro o seu blog também.
Selinho Nº 1



A ideia deste selinho é elencar três livros que me marcaram e depois presentear cinco blogs amigos para fazer o mesmo.
Bom, vamos lá:

O cachorrinho Samba, Maria Jose Dupre.
Esse foi o primeiro livro que li inteiramente sozinha. Nos meus oito aninhos, esse livro me marcou a ponto de me transformar na leitora compulsiva que sou hoje. Nunca mais o reli, porém ele ainda está guardadinho na minha estante, me lembrando de como tudo começou.

Comer, rezar, amar, Elizabeth Gilbert.
Nunca fui muito fã de livros de auto-ajuda, mas de alguma forma, me interessei muito por esse livro quando o vi na livraria. Sozinho, esse livro não fez nada, mas posso, sem exagero, traçar uma linha na minha vida antes e depois dele. Me deu coragem para procurar ajuda, entrar na aula de yoga e encarar a depressão como uma doença (curável). Hoje estou muuuito feliz com o rumo que minha vida está seguindo.

Orgulho e preconceito, Jane Austen.
Quando eu ainda não sabia bem qual era o meu gênero de leitura, esse livro me arrebatou e eu percebi que romances (românticos) podem ser muito mais do que a mesma história água-com-açúcar de sempre, eles também podem mostrar como era uma época que eu nunca vou visitar pelos olhos de alguém que realmente viveu lá. Me apaixonei pelo século XVIII, pelas roupas, danças e cultura da época. Esse ainda é o meu livro preferido e já assisti o filme de 2005 umas quintentas vezes!

Os cinco amigos blogueiros que estão recebendo esse selo são:

Fernanda, do Coisas Minhas.
Celsina, do Uma janela secreta.
Débora , do Leitura nossa de cada dia.
Lia, do Quero morar em uma livraria.
Giu, do Amount of words.
Espero que gostem :)


O segundo selinho tem quatro regras:



1) Escrever uma lista com oito características minhas:

Romântica
Meiga
Amiga leal
Rata de biblioteca, livraria, sebo, barraquinha de livros de esquina...
Apaixonada por animais
Cinéfila assumida
Sonhadora
Um pouco preguiçosa (hehe...)

2) Convidar oito blogueiros para receber o selinho:

Bia, do Livros de Bia.
Mao, do Animao.
Bárbara, do Livros que eu já li.
Vica, do Plain Vica.
Kezia, do Pétalas da minha vida.
Nathália, do Minhas artes.
Monique, do Há tantos livros... mas há tão pouco tempo.
Mariane, do Compartilhando leituras.

3) Comentar no blog de quem te deu o selinho.

4) Comentar nos blogs que vão receber o selinho.


Já o terceiro selinho foi presente da Bárbara do Livros que eu já li.



Ela tem um blog maravilhoso e eu convido todos vocês a visitarem.
O selinho está atrasado (ou adiantado dependendo do ponto de vista...) mas como o Natal é um estado de espírito, vou participar mesmo depois da data.

As regrinhas desse selinho são:

1) Postar o selo (confere).

2) Dizer quem te enviou (confere).

3) Revelar os seus três desejos de Natal:

*Que todos tenham um Natal e um ano novo cheio de magia e canções natalinas :)

*Que as luzinhas de Natal fiquem acesas por bastante tempo nesse ano! Amo enfeites de natal! São maravilhosos.

*Que eu e todos os que estão lendo esse blog mantenham o espírito de Natal vivo durante todo o ano de 2010. Quando as coisas ficarem difíceis lembrem-se das luzes e musiquinhas bonitas e repetitivas. (rs...)

4) Indicar 12 blogs que você goste muito:

Leo, do Upidupi.
Cris, da Incubadora literária.
Vivi, do Romance gracinha.
Lili, do Nossos Romances.
Camilla, do Livros com coração.
Julianna, do Lost in chick-lit.
Lilith, do Lilith.
Nanda, do Todos os livros do mundo.
Tonks, do Romances in Pink.
Karina, do K romances.
La Sorcière, do La Sorcière.
Natália, do Menina da Bahia.

De novo Leo e Bárbara muito obrigada. Espero que tenha feito juz aos selinhos que vocês me deram! E aos amigos e amigas que receberam os selinhos por mim, espero que tenham gostado da brincadeira :)

terça-feira, dezembro 15, 2009

Desafio literário 2010



O Desafio Literário foi uma ótima idéia da Vivi, autora do Romance Gracinha. Deve-se escolher 12 livros, um para cada mês do ano de 2010, mais 12 de reserva. O desafio propriamente dito para mim não será ler os 12 livros no ano que vêm, foi escolher os livros e fazer essa listinha. Que coisa difícil me decidir na escolha desses livros!
Mas eu consegui =D Segue a minha listinha:

JaneiroPara facilitar a vida de todas, leituras rápidas para o primeiro mês do ano. O desafio é ler um Romance de Banca ao estilo da Nova Cultural, Harlequin, entre outros livros vendidos em bancas. Vale qualquer segmento, Clássico Históricos, Momentos Íntimos, Júlia, Sabrina, etc... Tenho certeza que você tem um livro na pilha esperando para ser lido. Portanto não há desculpas.

Aconteceu no Titanic, Loreley McKenzie.

Reserva: Quando A Lua Surgir, Lori Handeland.


Fevereiro
Um livro que nos remeta aos contos de fada. È baba! Nem tudo é inovação. Há muitas histórias baseadas nos contos de fadas. Patinho Feio, A bela e a fera, Cinderela...

Lost Girls: Meninas Crescidas, Allan Moore.
Reserva: Lugar Nenhum, Neil Gaiman.


Março
Um clássico da Literatura universal. Só vale aquele que você nunca leu na vida. Sabe aquela coleção em destaque na estante que está lá só para fazer bonito? È lá que você vai pescar esse.

Shirley, Charlotte Brontë.
Reserva: O Silmarillion, Jr. R. R. Tolkien.


AbrilUm livro de escritor(a)Latino-Americano. Leitura inédita só para lembrar!

Cem anos de solidão, Gabriel García Márquez.
Reserva: Pantaleão e as Visitadoras, Mario Vargas Llosa.


MaioPara aliviar, vai aí um Chick-lit. O mar está para peixe no que diz respeito ao gênero.

Tamanho 44 também não é gorda, Meg Cabot.
Reserva: Lembra de Mim?, Sophie Kinsella.


JunhoUm livro de uma escritora brasileira.

A Caverna de Cristais, Helena Gomes.
Reserva: Estrela Pier, Kamila Denlescki.


JulhoUm livro adaptado para o cinema. O que mais há ultimamente!

A Mulher Do Viajante No Tempo, Audrey Niffenegger.
Reserva: O Guia Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams.


AgostoUm romance policial. Vale os autores mais clássicos ou autores do romance “romântico” policial.

Os homens que não Amavam as Mulheres, Stieg Larsson.
Reserva: Êxtase Mortal, Nora Roberts.


SetembroUm romance histórico. Cá entre nós, esse gênero é o queridinho de muitas!

A herança de Ana Bolena, Philippa Gregory.
Reserva: O chá do amor, Jennifer Donelly.


OutubroUm livro que contenha uma lição de vida. Pode ser ficção ou não-ficção. Viu como facilitei?

Para Sempre Alice, Lisa Genova.
Reserva: O clube do Filme- David Gilmour.


NovembroUm livro de escritor(a) de Portugal. Com a aproximação ortográfica porque não uma aproximação literária?

Caim, José Saramago.
Reserva: Sonetos, Florbela Espanca.


Dezembro
Um livro (ficção ou não ficção) que tenha a palavra "Coração" no título.

Coração de tinta, Cornelia Funke.
Reserva: Coração, Natsume Soseki.

terça-feira, dezembro 08, 2009

Dewey, um gato entre livros



Em uma segunda feira de inverno, Vicki Myron estava retirando os livros da caixa de coleta da biblioteca de Spencer (Iowa) e teve uma surpresa que mudou a sua vida. Junto com os livros devolvidos pela comunidade durante o final de semana, se encontrava um gatinho laranja, assustado, sujo e, acima de tudo, congelado pelo frio que fazia dentro da caixa de metal.
Foi assim que nasceu a realação tão especial de Vicky com Dewey.
Aposto que você está perguntando “outro livro sobre bichinhos de estimação?” e você está completamente certo. O diferencial nessa história é que o gatinho Dewey não vira apenas o bichinho de estimação da bibliotecária que o encontrou, mas de toda uma cidade. Ao invés de levá-lo para casa, Vicky decide que ele deve ser adotado pela biblioteca onde trabalha há vários anos. O processo para conseguir que um gato seja adotado por um órgão público não deixa de ser complicado apenas porque essa história se passa fora do Brasil. No entanto, depois de conseguir essa façanha, ela nos conta como foi a relação de Dewey Readmore Books ("Do we read more books?" Nós lemos mais livros?) com uma quantidade inacreditável de moradores que o aceitaram de braços abertos e colos quentinhos.
Ao terminar esse livro, só uma dúvida rondava a minha mente: Porque eu insisto em fazer isso comigo mesma? Não aprendi nada com Marley?
Sinceramente, aconselho esse livro pois é realmente uma bela história, não só de um gatinho, mas do desenvolvimento e superação de toda uma cidade. Mas já vou avisando que não é para os fracos de coração. Só espero que esse livro também não vire um filme aumentando ainda mais o número de livros sobre bichinhos fofos nas livrarias. Amo cachorros, gatos, águias de cabeça careca, mas tudo o que é demais enjoa. Vou dar um bom tempo antes de ler um livro do tipo novamente, pelo menos dos reais. Dragões no entanto estão for a desta regra auto-imposta. :)

Achei esse vídeo, uma espécie de documentário sobre o Dewey, no blog Loucos por gatos. É ótimo! Assistam:



O gato que conquistou uma pequena cidade no interior dos E.U.A e agora vai conquistar você.
A rotina da pacata cidade de Spencer, Yowa, Estados Unidos, se transforma após Dewey, um gato, ser encontrado na Biblioteca Pública. A diretora da Biblioteca, que achou o gatinho na caixa de devolução, resolve contar a história e lança o livro, Dewey, um gato entre livros. O livro escrito por Vicki Myron, com colaboração de Bret Witte é a história real de um gato que fez da biblioteca - e da cidade de Spencer- sua casa e de seus habitantes, os melhores amigos.


Compre Dewey, um gato entre livros no Submarino.


sexta-feira, novembro 13, 2009

(500) dias com ela



Essa é a história de Tom, um escritor de cartões comemorativos, que leva um fora da namorada.
Nos 500 dias em que se passa o filme, ele conhece Summer na empresa onde trabalha, se apaixona, começam a namorar, brigam e terminam. O título já deixa claro que esse é um romance de prazo limitado, o que realmente importa é como tudo isso acontece.
Sem seguir estritamente o roteiro começo-meio-fim, o filme mostra os questionamentos de Tom sobre o que deu errado entre ele e Summer. E é imerso nessas lembranças que ele começa a questionar o que realmente vale a pena na vida, quais são as suas paixões e se ele continua a acreditar no amor, mesmo depois de tamanha desilusão.
Quando os créditos subiram, juro que não sabia exatamente o que pensar. Tinha rido muito, xingado a Summer um zilhão de vezes e aproveitado cada minuto, mas o que eu realmente concluíra dele? Com um pouco mais de calma e reflexão, posso dizer que com certeza gostei muito do filme. O meu estupor se deu por ser uma história tão comum e ao mesmo tempo um filme tão diferente. Eu já sabia o enredo, está escrito no poster do filme: "Um garoto conhece uma garota. Ele se apaixona. Ela não." e ainda assim fui surpreendida.
Confesso que não entrou para a minha lista de filmes favoritos, mas foram 95 minutos muito bem aproveitados que eu recomendo a todos.
Olha que ótimo. Vocês já sabem o que assistir no fim de semana =D


sexta-feira, outubro 23, 2009

Descasada




Descasada é uma minissérie que passou no Telecine e, mais recentemente, no People and Arts com o nome de A Ex.
A série conta como Molly Kagan, ex-escritora infantil que largou a carreira para dedicar-se única e exclusivamente ao marido, consegue dar a volta por cima quando este a troca por um modelo mais novo.
Molly é avisada pela secretária eletrônica que o marido quer o divórcio e o pesadelo começa. Logo ela é despejada do clube que frequenta, desconvidada de todas as grandes festas e não conseguem nem mesmo uma mesa em um restaurante para almoçar com sua filhinha. A coisa chega a ser tão desesperadora que ela pede um beijo a um morador de rua.
Ok, com um morador de rua como o Sam (que é interpretado pelo mesmo ator que faz o Bill de True Blood) até eu ficaria muito tentada. Sam é lindo, adora ler e, apesar de morar em baixo de uma árvore, o que realmente atrapalha o romance dos dois é o fato de estar sendo acusado do assassinato de Lou Manahan, chefe do ex-marido de Molly.
Não sabia que era uma minissérie quando vi o DVD na locadora e com a Debra Messing na capa não teve como alguém me manter afastada. Assisti os cinco episódios em dois finais de semana e amei.
Adoro histórias de mulheres fortes e essa é uma ótima. Molly tem que passar por muita coisa para tentar se encontrar e direcionar a própria vida, agora que não gerência mais a do marido. Além disso, é uma série muito engraçada, cheia de personagens secundários que pulam para o primeiro plano o tempo todo.
Não sei como não fiquei sabendo dessa minissérie antes, mas para as meninas que também não ficaram sabendo, fica a dica. Vale muito a pena.


terça-feira, outubro 20, 2009

Sense and Sensibility and Sea Monsters

Sei que esse livro não é novo, foi lançado em setembro, mas não tinha visto o trailer ainda.
Uma palavra: medo.



E vocês, encaram?

segunda-feira, outubro 19, 2009

Manual para Românticas Incorrigíveis




“Procura-se cavaleiro para salvar donzela em perigo. Precisa ter cavalo próprio”

Tom em Manual para românticas incorrigíveis.


Apesar de ser caçoada pelos amigos, Kate Hetherington acredita no amor com todas as suas forças. Ela está contando os dias para que seu príncipe apareça e a leve em direção ao por-do-sol (leia-se vida abastada) em seu cavalo branco (leia-se carro importado). Mas seus amigos Sally e Tom não concordam com o seu ponto de vista.
Sally é casada e acredita estar com o casamento chegando ao fim, portanto, não é nada otimista quanto aos devaneios de Kate. Já Tom não acredita em relacionamentos e ponto final, seu medo de que a amiga se machuque faz com que seja até um pouco arrogante quando tratam do tema "amor" e "felizes para sempre".
Mas Kate finalmente encontra alguém que a entende, a apoia e pode guiá-la no caminho certo. Bom, nem tanto "alguém", mais para "alguma coisa". Um livro chamado “Manual para românticas incorrígiveis” que compra por meio de um site de leilões na Internet. O anúncio afirmava que a leitora encontraria o amor ou receberia o dinheiro de volta. O que ela tinha a perder?
E, quando logo em seguida conhece Joe Rogers, não há dúvida, o livro é mágico. Será?
O título desse livro “gritou” minha atenção assim que o vi. Sou uma romântica incorrigível assumida, fazer o quê? E ele realmente falou comigo: Será que existe uma pessoa certa para nós? Será que vale a pena correr atrás do amor ou devemos esperar por ele fazendo coisas mais importantes enquanto isso?
Minha sensação foi de que li esse livro em segundos, apesar de ter levado uns dois ou três dias. Adorei e recomendo para todas as outras românticas incorrigíveis que eu sei que passam por aqui de vez em quando. Não esqueçam de me dizer o que acharam!

Apesar dos protestos de amigos, Kate Hetherington ainda acredita ser possível achar seu príncipe encantado. Quando encontra um antigo guia, intitulado O Manual para românticas incorrigíveis, Kate decide dar uma chance ao seu romantismo e seguir as dicas do livro para encontrar o parceiro ideal. E este será apenas o começo de uma aventura para a qual nenhum manual terá as respostas.

quinta-feira, outubro 01, 2009

A Garota Ideal (2007)



Pela primeira vez vou indicar aqui um filme. Espero que vocês gostem dessa pequena mudança no blog =D

Imagine que seu irmão encontrou a pessoa perfeita. Amável, carinhosa, que o ama. Enfim, uma boneca. Não, uma boneca MESMO!
Aconselhados por uma psicóloga a acreditar e participar de sua fantasia, a família, a igreja e toda a comunidade acaba aceitando Bianca (a boneca) como a nova namorada de Lars, mas até quando isso vai durar?
Apesar de parecer, esse filme não é uma comédia, é profundo demais pra isso. Perfeito para refletir se realmente existe a pessoa perfeita ou se nós devemos simplesmente tentar encontrar o melhor nas pessoas ao nosso redor.


terça-feira, setembro 29, 2009

Amor em Minúscula




"'Talvez o belo seja triste porque é efêmero como um beijo de
borboleta', pensei."

Samuel em Amor em Minúscula.


Quem nunca teve aquele momento, mesmo que de um só segundo, em que nos damos conta de que o ano seguinte será exatamente como o anterior e, às vezes, isso não é uma coisa boa. Samuel teve esse momento enquanto passava mais uma vez a virada do ano, comendo 12 uvas e bebendo uma taça de champanhe à meia-noite, para depois ir para a cama sozinho, como sempre.
No entanto, o dia seguinte mostra que ele estava completamente enganado. Arranhando sua porta, aparece um jovem gatinho, que o leva até um vizinho com que ele nunca havia conversado, este o conduz ao seu primeiro amor de 30 anos atrás, que o faz encontrar um filósofo amalucado, e tudo isso o transporta a mistérios, indecisões, curiosidades, alegrias, medos e tudo o mais que faz com que tenhamos certeza de estar vivendo e não apenas vegetando.
Samuel tem a sua vida mudada por um acontecimento ínfimo, a visita de um gatinho faminto. Mas teria sua vida mudado por que o gato apareceu e o resto veio em consequência do “efeito borboleta” ou essa pequena novidade fez com que ele esperasse, mesmo que inconscientemente, outras novidades. Assim como não sabemos como os átomos se comportam quando não estamos olhando, e talvez vejamos exatamente o que esperamos quando os estamos observando, será que ele só não começou a esperar por transformações e as recebeu?
Tenho que confessar que me senti muito culta lendo esse livro (:P). Ele fala sobre escritores alemães, obras clássicas, pintura e música erudita, mas tudo de uma forma leve e tranquila. Fiquei empolgadíssima para ler Os sofrimentos do jovem Werther de Goethe, só espero que a empolgação não passe antes que eu consiga colocar as minhas mãos em uma cópia do clássico!
Para finalizar, amei o livro. Se tivesse que descrevê-lo em uma só palavra esta seria “inteligente”. Mas como posso fazê-lo em muitas outras, acrescento também divertido, leve, fluído e enigmático.
Recomendo a leitura e sei que vocês não se arrependerão de passar umas pequenas férias na Espanha, entre cafés e lojas de ferreomodelismo.

sexta-feira, maio 29, 2009

E a vencedora é...

Cris Costa!!!!!!!!!

O sorteio foi feito pela sequência dos coments:

1 - Elaine (nanestone_@hotmail.com)
2 - Lili (licristine@gmail.com)
3 - Tatiane (tatimenna@hotmail.com)
4 - Cris (criscosta00@yahoo.com.br)
5 - Débora (d.lauton@bol.com.br)
6 - Camilla (camilla.let@hotmail.com)

E o Random.org escolheu o número 4 como o primeiro:



Parabéns Cris!!!

E quero agradecer a todas que participaram. Todas as respostas foram ótimas e super criativas. Adorei!!! Podem esperar novas promoções :)

sexta-feira, maio 22, 2009

Promoção nº 1 - Na escuridão da noite




É com imenso prazer que lanço a primeira promoção d'O Gato Risonho. Ieeei!!!

Como falei no último post, me foi cedido pela Editora Planeta um exemplar de Na Escuridão da Noite, de Kathryn Smith, para sortear às minhas incríveis leitoras!
Quer participar? É só deixar o nome e o e-mail neste post junto com uma respostinha: Você usaria um pseudônimo para lançar um livro? Se sim, qual seria?

A vencedora ou o vencedor será escolhido por sorteio através desse programinha aqui e o livro será enviado pelo correio por encomenda.
O resultado sai na sexta-feira que vêm, dia 29, até a meia-noite. Boa sorte!!!

Ps: Só pra começar o jogo, vou responder a minha pergunta! Se eu publicasse um livro, é bem provável que usasse um pseudônimo. Principalmente se fosse um dos meus queridos romances de banca com cenas super hot que eu nunca gostaria que os meus pais lessem. hehehe... E o meu nome seria Charlotte Love. Pode ser mais brega?

quinta-feira, maio 21, 2009

Na Escuridão da Noite



" A senhora ainda me deve um beijo, e se insistir em me olhar como se quisesse me envolver em cobertura de chocolate, é melhor que esteja pronta para tirá-la de mim."
Wynthrope Ryland em Na escuridão da Noite.

A viscondessa Moyra Tyndale tinha um segredo, mas ele não era nada em comparação com o de Wynthrope Ryland.
Moira, ou Lady Auborn, era viúva. Tivera um casamento de conveniência que a ajudou a sair da casa dos pais e ter vida própria, enquanto o seu marido poderia desfrutar do seu verdadeiro amor sem o medo de ir parar na cadeia. Se a verdade de que seu casamento nunca havia sido consumado caísse em mãos erradas, ela seria obrigada a voltar para a megera que era sua mãe, e preferia morrer a isso.
Wyntrhope havia sido enganado em sua juventude, achou que estava ajudando o seu país a não cair nas garras de Napoleão, quando na verdade só estava trabalhando como ladrão para o inescrupuloso Daniel. Fora um ótimo ladrão, um ladrão muito, mas muito, famoso.
Quando, já no começo do relacionamento entre os dois, Daniel aparece e lhe pede que roube a tiara de Moira, ou sua família sofreria, Wynthrope se vê perdido em um dilema: salvar a sua família seria perder Moira, mas quem o salvaria caso isso acontecesse?
Na escuridão da noite é um romance histórico bem leve e divertido. Um pouco meloso demais, mas conheço muita gente que adora esse estilo (estou inclusa aqui)! O romance entre Wyn e Moira é quente quase queimando, mas ainda assim, muito romântico.
Além disso, os personagens secundários não ficam escondidos atrás dos panos e dão muito mais emoção e carisma para a história. Como o casal Nate e Olivia, irmão e cunhada de Wyhntrope, que são o casal no qual se espelhar, segundo a história. Até Minnie, irmã de Moira e uma praga no início do livro, amadurece a olhos vistos durante a trama e se torna a irmã que todos gostaríamos de ter.
Mas o grande destaque do livro está para o irmão Ryland mais velho, Brahm. Esse homem-feito, maduro e com uma beleza espetacular, deu um baile em Wynthrope e se tornou o meu favorito. Aliás, o livro com a história dele já saiu nas bancas com o nome de Ainda te amo, e eu realmente estou interessada em ler!
E sabe qual é a melhor parte desse livro? Ele foi publicado pela editora Planeta, no selo Essência, e eu tenho altos contatos com a editora, hehehe... Adivinha o que aconteceu então? Eu tenho um exemplar a mais e vou dar de presente para uma de vocês!!!
O post com a promoção entra até o fim-de-semana, ok? Não esqueçam de entrar aqui e conferir!

Por trás da aparência irresistivelmente sedutora, Wynthrope Ryland esconde um grande e terrível segredo que um chantagista ameaça revelar. Pressionado, ele deve fazer uma difícil escolha para manter seu passado oculto: trair a confiança da viscondessa Moira Tryndale, a única mulher que amou na vida, ou arruinar sua família. Na verdade, ele não tinha escolha. Nunca colocaria seus irmãos em risco. Se tivesse de voltar a roubar para protegê-los, ainda que pela última vez, assim o faria. Mesmo que a vítima, dona da cobiçada tiara de diamantes, fosse Lady Asbourn... ou simplesmente Moira. Wynthrope teria de tirar proveito da proximidade com a viscondessa para furtar a joia e entregá-la ao criminoso. Depois de algum tempo - para não levantar pistas -, terminaria o relacionamento e a convenceria de que ele era mesmo um libertino, como todos pensavam. O plano parecia perfeito, se fôssemos movidos apenas pela razão... Era tarde demais para Wynthrope encarar o roubo como apenas mais um de sua pregressa carreira. Moira o conhecia como ninguém. Melhor do que ele mesmo. E sabia que ele não era o que aparentava ser. Wynthrope não podia esconder nada de Moira e muito menos fingir para si mesmo que não estava completamente apaixonado. Será que seu amor acabará falando mais alto que a forte ligação entre os irmãos?

quarta-feira, maio 20, 2009

I'm back!!!



Meninas e meninos (será que têm algum?),

Sinto muitíssimo por ter ficado tanto tempo sem postar aqui. Tive um zilhão de contratempos, felizmente a maioria deles foram ótimos, mas ainda assim me deixaram muito ocupada.

De toda forma, quero avisar que estou voltando, e estou voltando com tudo!!! Até presente para vocês eu tenho... suspense... hehehe...

Amanhã postarei uma resenha do mais novo livro que li e com ela vêm uma surpresinha bem legal. Fiquem atentas.

Percebi que várias de vocês não me abandonaram nesse meu hiatus forçado. Muito obrigada pelas visitas, prometo não decepcionar de agora em diante :)

Até amanhã!!!

sexta-feira, abril 03, 2009

Twilight – O Perfume




Essa semana não li nenhum livro que vale a pena comentar. O que é super chato :(
Mas achei uma coisa muito legal que gostaria de compartilhar com vocês. É o lançamento do perfume Twilight.
O frasco é tãaaaaaaaaaao lindo! Se estivesse sendo vendido aqui eu certamente compraria, mesmo que não seja bom, só pra deixar de enfeite.
Assisti também um vídeo no youtube sobre o perfume. É de uma especialista em fragrâncias que analisa vários lançamentos. Segundo ela, o perfume deixa você com cheirinho de sabonete. Devia deixar a gente com o perfume da Bela, não?
Vejam o vídeo abaixo:



O perfume Twilight está sendo vendido por $48 dólares na loja online Torrid.

quinta-feira, março 26, 2009

The Host


“É só o corpo”, eu repeti.
“Isso não é absolutamente verdade,” ele discordou. “Não é o seu rosto, mas a expressão nele. Não é a voz, mas o que você diz. Não é como você parece nesse corpo, mas as coisas que você faz com ele.
Você é linda.”
Wanderer e Ian em The Host (tradução livre).


A ideia de alienígenas dominando o planeta Terra não é novidade para ninguém. Eles viriam, matariam os seres humanos, ou se apossariam de seus corpos, e se apropriariam de nossas riquezas. Em resumo, eles destruiriam o planeta completamente e iriam embora, devolvendo os poucos seres humanos sobreviventes à idade da pedra.
Mas, e se os alienígenas fossem pacíficos e não quisessem destruir a Terra? E se eles estivessem lá em cima, nos observando a tempo suficiente para decidir que nós não merecemos tudo o que esse planeta nos dá de graça? Eles teriam conseguido alguma forma de acompanhar nossos jornais e visto as notícias que somos obrigados a ver todos os dias. Vocês conseguem imaginar a surpresa quando descobrissem que nossas crianças são violadas, que pais matam seus filhos e filhos matam seus pais? Eles talvez não entendessem que essas notícias são a excessão e não a regra. Seria tão errado assim tomar os corpos desses humanos monstruosos e viver nesse planeta tão rico, extinguindo a violência e reabilitando o meio-ambiente?
Wanderer é um desses alienígenas chamados de almas. Ela foi colocada no corpo de uma rebelde humana para penetrar os seus pensamentos e descobrir o esconderijo dos últimos humanos ainda vivos no planeta Terra. No entanto, esse corpo chamado Melanie não age como o esperado. O corpo não desiste, os pensamentos de Melanie não somem e ela não entrega os segredos, apenas memórias que fazem Wanderer sentir coisas que nunca havia experimentado antes, em nenhuma de suas sete vidas anteriores. Será que esses humanos, que podem amar tão incondicionalmente, são realmente tão assustadores quanto as almas pensam?
Através das lembranças de Melanie, Ela conhece Jared e Jamie (o primeiro sendo o grande amor da rebelde e o segundo o irmão, por quem ela daria sua vida) e decide descobrir se eles ainda estão vivos e, o mais importante, se ainda são humanos. É nessa busca que ela encontra um refúgio de humanos em que a grande maioria quer matá-la e poucos outros que desejam manter o corpo de Melanie vivo. Eles nunca acreditariam que a mente de Melanie ainda está viva dentro de Wanderer. Ou acreditariam?

Não tenho como me enganar, gostei mais desse livro do que do próprio Crepúsculo. Eu não estava preparada para tudo o que esse livro é, toda a reflexão que ele te obriga a ter. Eu já tinha pensado muitas vezes em como damos esse planeta por garantido. Temos tudo e só tiramos e tiramos. Quando damos alguma coisa em troca? Nem consigo assistir aos jornais e ver tudo o que os somos capazes de fazer. Sinceramente, apesar de não achar certo, entendo o que levou as almas a acharem que seria melhor erradicarem os seres humanos do que os deixar destruindo seu próprio planeta para sempre.
Além disso, há a mente da Wanderer, a descoberta do que é o amor humano. Para as almas, o amor é uma coisa geral, eles todos se amam, sentir o que a Melanie sente pelo Jared é informação demais para "Wanda". Ela sente o calor, o desejo, a necessidade com que o seu corpo pede pelo do outro humano, mas não consegue realmente entender o que está acontecendo.
Ian é com certeza o meu personagem favorito no livro. Ele é o primeiro a questionar o que é ser um humano e descobrir que Wanderer se encaixa na sua descrição com honrarias.
Leiam, questionem-se e postem o que vocês acharam aqui. Eu vou estar esperando!


Em The Host, o planeta Terra está a ser invadido por um inimigo invisível. Os humanos estão a ser transformados em hospedeiros dos invasores, com as suas mentes expurgadas, enquanto o corpo permanece igual e a vida prossegue sem qualquer mudança aparente. A maior parte da humanidade não consegue resistir.
No entanto, quando Melanie é capturada, um dos poucos humanos indomáveis, ela tem a certeza de que chegou o fim. Wanderer, a alma invasora a quem o corpo de Melanie é entregue, foi avisada sobre o desafio de viver no interior de um humano: emoções avassaladoras, excesso de sentidos, recordações demasiado presentes. Mas existe uma dificuldade com que Wanderer não conta: o anterior dono do corpo combate a posse da sua mente.
Wanderer esquadrinha os pensamentos de Melanie, na esperança de descobrir o paradeiro da resistência humana. Melanie inunda-lhe a mente com visões do homem por quem está apaixonada - Jared, um sobrevivente humano que vive na clandestinidade. Incapaz de se libertar dos desejos do seu corpo, Wanderer começa a sentir-se atraída pelo homem que tem por missão denunciar. No momento em que um inimigo comum transforma Wanderer e Melanie em aliadas involuntárias, as duas lançam-se numa busca perigosa e desconhecida do homem que amam.

quarta-feira, março 25, 2009

Selinhos e carinhos




Que semana feliz!!! Ganhei um selinho e um selimême da Vivi Bastos do Romance Gracinha!!!

Pelo selimême, eu devo escrever 8 características minhas e convidar 8 pessoas pra fazer o mesmo.
Pelo selinho eu deveria indicar 15 blogs, mas não acompanho 15, pelo menos não ainda. Então eu decidi indicar 8, que servem para os dois prêmios :)


1) A coisa mais importante da minha vida são os meus amigos. Não viveria sem eles nem por um dia!

2) Já sofri muito com a timidez, agora faz parte do meu charme. hehehehe...

3) Tenho que me esforçar pra não gastar mais do que ganho em coisinhas bonitinhas, como bijus, bolsas e sapatos. Por isso, não tenho cartão de crédito, acho que acabaria igual a Becky Bloom.

4) Sou vegetariana há uns 5 anos. Não sinto falta de carne e amo como os meus amigos me apoiam. Se tem churrasco na casa de algum deles, sempre tem alguma coisinha extra pra mim tb :)

5) Sou capista e diagramadora de livros. Fui eu quem fiz a capa do livro A Rosa do Inverno que a Vivi elogiou no Romance Gracinha. Tá o meu nome lá nos créditos!

6) Eu pulo de alegria quando tem um comentário novo no blog! Imagina como fiquei quando ganhei o selinho e o meme?

7) Quando eu leio um romance que me faz sentir muitas emoções, normalmente nas cenas de despedida ou reencontro, o tendão meu braço direito dói. Parece surreal mas é verdade.

8) Tenho tendência a acreditar em conspirações. Quanto mais maluca, melhor. Ninguém me convenceu ainda que o Acre existe!

Esses Blogs maravilhosos merecem uma visita diária!!!


Romance Gracinha
Um livro no chá das cinco
Jane Austean Club
Monalisa de Pijamas
Nossos Romances
Lilith
Literatura de mulherzinha
Blog do PDL

Muito obrigada, Vivi!!!!!!!!!

sexta-feira, março 20, 2009

Jinx - Sorte ou Azar



Oh, vamos encarar. Claro que ele gostava de outra garota. Mas eu já estava perdida de qualquer forma. Ele me teve em “eu gosto de focas”.
Jean em Jinx – Sorte ou Azar (tradução livre).


Jean é uma garota com “deficiência de boa sorte”. Ela simplesmente não consegue dar uma dentro. No dia de seu nascimento um raio atingiu o hospital, causando um blecaute e vários pacientes tiveram de ser transferidos de helicóptero para o hospital mais próximo. O fato de ela ser descendente de uma bruxa não parece ajudar em nada.
Fugindo de um perseguidor apaixonado, Jean tem que sair escondida de Iwoa e ir morar em NY com os tios, mas acaba se enfiando em um problema ainda pior, sua prima psicótica está empenhada em destruir sua vida. Ela vai ter que abraçar sua descendência atípica se quiser se defender da aspirante de bruxa, Tori. Mas será que ela consegue?
Sou fã de carteinha de Meg Cabot. Li quase todos os livros da série O Diário da Princesa (menos o último: Princesa Mia), além dos romances adultos como A Rosa do Inverno e Tamanho 42 Não é Gorda. Ela é uma inspiração no meu sonho de ser escritora.
Não larguei o livro do começo ao final. Adoro ler romances adolescentes, eles parecem rejuvenescer o coração!
Shawn, o garoto por quem Jean e Tori brigam durante toda a trama, é tão fofo e adorável como os namorados das gemêas Olsean em seus filmes da Disney. A au-pair, Petra, é a amabilidade em pessoa. E até a patricinha Charlene é uma garota adorável.
Terminei o livro com um aperto por ter de deixá-los ir, mas já encontrei novos amigos-personagens dos quais quero falar aqui assim que conseguir. Esperem e verão.

A falta de sorte parece perseguir Jinx onde quer que ela vá - e por isso ela está tão animada com a mudança para a casa dos tios, em Nova York. Talvez, do outro lado do país, Jinx consiga finalmente se livrar da má sorte. Ou, pelo menos, escape da confusão que provocou em sua pequena cidade natal. Mas logo ela percebe que não é apenas da má sorte que está fugindo. É de algo muito mais sinistro... Será que sua falta de sorte é, na verdade, um dom, e a profecia sob a qual ela viveu desde o dia que nasceu é a única coisa que poderá salvá-la?

quinta-feira, março 05, 2009

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom - O Filme




Confesso que tenho medo de trailers, eles tendem a mostrar todas as melhores partes do filme. Mas não resisti a esse e adorei! Assistam e comentem.




O que vocês acharam da escolha dos atores? Eu adorei a Isla Fisher como Becky!

quarta-feira, março 04, 2009

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom




As pessoas vão se referir a mim como a Garota da Echarpe Denny and George. (...) Por favor, Deus, por favor, permita que eu tenha aquela echarpe.
Becky Bloom em Os Delírios de Consumo de Becky Bloom.


Becky Bloom é uma jornalista especializada em mercado financeiro, o que torna ainda mais assustador o tamanho da dívida em que ela se enfiou no cartão de crédito. É só ver uma placa com “desconto” em letras grandes que seu coração acelera e ela simplesmente tem de levar alguma coisa! Afinal, ela vai economizar 50% e, convenhamos, é um investimento pessoal e profissional estar sempre o mais elegante possível.
Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é um dos meus chicklit favoritos. É como se você não tivesse um momento pra respirar entre uma trapalhada da Becky e outra, seja por causa de sua compulsão por compras, da corrida na direção oposta aos seus credores, ou ainda, por Luke Brandon, um empresário super bem-sucedido por quem ela está caidinha.
As cartas trocadas entre ela e as empresas de cobrança e bancos são uma diversão à parte. Hilárias e inteligentes, fazem pensar se a própria Sophie Kinsella já não foi obrigada a recorrer as estratégias econômicas de Becky Bloom.
Mais do que um “vale a pena ler”, é indispensável para as fãs do gênero. E o melhor, o filme baseado no livro tem estréia programada para dez de abril desse ano! Espero, sinceramente, que o filme seja tão bom quanto o livro.
Algumas fotos do filme para aguçar ainda mais a curiosidade:



© Touchstone Pictures, Jerry Bruckheimer Films


Rebecca Bloom é uma garota londrina com um péssimo hábito. É uma consumidora compulsiva. Apesar de ser uma jornalista especializada em mercado financeiro, não consegue controlar as próprias finanças. Endividada até a alma, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito.
E ainda encontra tempo para se apaixonar.

terça-feira, março 03, 2009

O Vampiro Armand



" Se sou um anjo... pinte-me de asas negras"
Armand em O Vampiro Armand.


Se você assistiu ao filme Entrevista com o Vampiro, deve ter a imagem de Armand como o Antônio Banderas enfeitado com o cabelo mais estranho de sua carreira. Esta caracterização do personagem não poderia estar mais longe de sua aparência nos livros de Anne Rice.
Armand é um jovem de 17 anos, ou pelo menos foi nessa idade em que sua aparência se congelou para sempre. Com a pele clara e lisa, nenhum pelo no rosto e lindos cachos ruivos, sua semelhança com um anjo de Botticelli é exaltada em todos os livros.
Não culpo o filme por tê-lo feito mais adulto e másculo, afinal, eles não tinham o tempo necessário para contar sua história. Não se poderia simplesmente colocar uma criança, com feições delicadas e femininas, tendo todo o poder do vampiro Armand.
Na verdade, é somente neste livro que realmente o conhecemos. Em O Vampiro Armand somos apresentados à sua infância (ele quase se tornou um sacerdote enterrado vivo!), sabemos como ele foi parar nas mãos de Marius, os motivos pelos quais foi trazido para a imortalidade tão cedo, porque se juntou a seita do cemitério e, o mais importante, como ele sobreviveu ao sol em que se expôs ao final de Memnoch. Sua história é inacreditavelmente triste.
Eu, sinceramente, considerava Armand um maluco. Porque outro motivo alguém se converteria a uma crença que acredita que vampiros são seres criados pelo demônio sendo você um sugador de sangue? Não que esse livro tenha me feito mudar de idéia, mas com certeza eu o entendo muito melhor agora.
Só um aviso para os fãs das crônicas vampirescas, não leiam esse livro antes de Memnoch (o melhor da série, até agora...), porque contém sérios spoilers.

O sedutor Armand, que despontou em Entrevista com o vampiro, hoje um clássico do horror gótico, retorna para contar sua fascinante trajetória de vida em mais um episódio das Crônicas Vampirescas. Tudo começa onde o romance Memnoch (quinto livro da série) termina. Vampiros do mundo inteiro estão reunidos em torno de Lestat, prostrado no chão de uma catedral, não se sabe se morto ou em coma. Enquanto reflete sobre a condição de Lestat, Armand é convidado pelo jornalista David Talbot para contar a sua vida.

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Crepúsculo




"E então o leão se apaixonou pelo cordeiro."
"Que cordeiro estúpido."
"Que leão doentio e masoquista."

Edward e Bella em Crepúsculo.


Passei anos me dizendo fã de livros de vampiros. Era mentira. Não que eu não ame Anne Rice (Lestat ainda é o vampiro para quem estou guardando as minhas veias mais suculentas), a verdade é que eu gostava da literatura vampiresca da Anne Rice e só dela. O preconceito que eu tinha dos outros livros que se aventuravam nesse universo era enorme. Apenas madame Rice poderia criá-los, o mundo vampiresco era dela por direito.
Só passei por cima desse preconceito depois de ouvir tão bem, e tantas vezes, sobre o livro Crepúsculo de uma amiga que tinha se viciado na série. Ela, que eu tinha obrigado a assistir Entrevista com o Vampiro alguns anos antes.
Lá fui eu, com as mais baixas expectativas, me lançar com a cara e a coragem no mundo criado por Stephanie Meyer. Mal sabia que meus sólidos conhecimentos sobre vampiros estavam para se desmoronar.
O que me surpreendeu em Crepúsculo, e me fez não largar os livros até terminar toda a série, não foram os vampiros, não foram os lobisomens e, acreditem, não foi o romance entre o leão desequilibrado e o cordeiro desastrado, mas a forma como entrei na mente da personagem principal. Eu era Isabella Swan, via como ela, pensava como ela e me esquecia de respirar sempre que ela se esquecia. Nunca, em anos e anos de leitura, fui tão envolvida em uma trama quanto em Crepúsculo.
Se é verdade que lemos para sentir coisas que nunca vamos sentir na vida real, esse foi o ingresso para uma “vida de segunda mão” mais realista que já tive.
É claro que ainda estou esperando conhecer um vampiro de fato e viver uma imortalidade eletrizante, mas esse passeio no corpo de Bella foi uma experiência da qual pretendo me lembrar para sempre.
Portanto, se você quer se apaixonar perdidamente por um vampiro, ter um amigo lobisomem e se descobrir com super-poderes, leia esse livro antes de qualquer outro e se perca nele.

Sinopse:
Quando Isabella Swan se muda para a melancólica cidade de forks e conhece o misterioso e atraente Edward Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com corpo de atleta, olhos dourados, vez hipnótica e dons sobrenaturais, Edward é ao mesmo tempo irresistível e impenetrável. Até então, ele tem conseguido ocultar sua verdadeira identidade, mas Belle está decidida a descobrir seu segredo sombrio.

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Apresentação

Saio de trás da cortina e caminho para o meio do palco, devagar, muito devagar. Paro na frente do microfone, tento enxergar as pessoas na platéia apesar do holofote que me cega. Não consigo ver além da primeira fileira, mas qual a diferença, cinco pessoas, quinhentas. Sinto-me intimidada com a atenção de todos, mas tenho que continuar.
“Em primeiro lugar eu quero agradecer a visita de todos vocês”
Um lugar comum, estou segura enquanto as coisas continuarem assim.
“Venho adiando esse blog há muito tempo, e finalmente tomei coragem para cria-lo. Espero que gostem e que voltem sempre.”
Por mim a apresentação pararia aí, o que mais poderia falar? Mas as pessoas esperam mais, elas sempre esperam mais.
“Quero ressaltar que não tenho o desejo de fazer desse blog um diário, mas postar algumas coisas pessoais são inevitáveis, como o que eu ganhei de presente de aniversário... quando eu fizer aniversário, o que vai demorar um pouco ainda...”
A gagueira aparece, velha inimiga.
“Bom, se vocês quiserem fazer perguntas...”
Um sorriso amarelo no rosto e uma voz gritando na cabeça: “Porque você disse isso?”.
Uma mulher na primeira fila levanta a mão. Tento fingir que não vi, mas ela pigarreia e fica de pé. Cedo ao inevitável.
“A senhora tem uma pergunta?”
Rezo para que pergunte onde fica o toalete, eu saberia a resposta dessa.
“Sim. Acho que todos gostaríamos de saber porque você acha que esse blog pode ter algum interesse a nós?”
Boa pergunta.
“E porque não? Big Brother é pico de audiência.”
Dou uma risada falsa, algumas pessoas me acompanham, acho que não estavam prestando atenção. Outra mulher se levanta, não gosto da cara dela.
“Qual é o seu background?”
“Como?”
“De onde você veio? Sua história, queridinha.”
Não acredito que ela me chamou de queridinha!
“Bom, eu estudei e...” passado alguns momentos “cheguei aqui”
Ótima resposta! Poderia ser mais articulada?
Várias pessoas se levantam.
“Onde você estudou?”
“No Colégio...”
“Qual sua banda favorita”
“Aerosmith”
“Você é contra o governo Bush?”
“Sim, porque ele...”
“Onde você comprou essa calça, é de marca?”
“Não”
E vai ficando pior.
“Qual o nome de solteiro da sua mãe”
“Fátima?”
“Você prefere gatos ou cachorros?”
Cachorros, eu acho...
“Qual sua comida favorita?”
“Miojo...”
As luzes estão mais fortes do que nunca, meu estômago revira e luzes piscam na minha frente. Saio correndo do palco. Acho que ouvi alguém me perguntar qual era a capital da Bulgária.
Uma a uma as pessoas vão deixando seus lugares como se o que aconteceu fosse tão normal quanto torradas no café da manhã.
A mulher da primeira pergunta comenta com a pessoa do lado:
“Espero que ela se expresse melhor escrevendo”