segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Crepúsculo




"E então o leão se apaixonou pelo cordeiro."
"Que cordeiro estúpido."
"Que leão doentio e masoquista."

Edward e Bella em Crepúsculo.


Passei anos me dizendo fã de livros de vampiros. Era mentira. Não que eu não ame Anne Rice (Lestat ainda é o vampiro para quem estou guardando as minhas veias mais suculentas), a verdade é que eu gostava da literatura vampiresca da Anne Rice e só dela. O preconceito que eu tinha dos outros livros que se aventuravam nesse universo era enorme. Apenas madame Rice poderia criá-los, o mundo vampiresco era dela por direito.
Só passei por cima desse preconceito depois de ouvir tão bem, e tantas vezes, sobre o livro Crepúsculo de uma amiga que tinha se viciado na série. Ela, que eu tinha obrigado a assistir Entrevista com o Vampiro alguns anos antes.
Lá fui eu, com as mais baixas expectativas, me lançar com a cara e a coragem no mundo criado por Stephanie Meyer. Mal sabia que meus sólidos conhecimentos sobre vampiros estavam para se desmoronar.
O que me surpreendeu em Crepúsculo, e me fez não largar os livros até terminar toda a série, não foram os vampiros, não foram os lobisomens e, acreditem, não foi o romance entre o leão desequilibrado e o cordeiro desastrado, mas a forma como entrei na mente da personagem principal. Eu era Isabella Swan, via como ela, pensava como ela e me esquecia de respirar sempre que ela se esquecia. Nunca, em anos e anos de leitura, fui tão envolvida em uma trama quanto em Crepúsculo.
Se é verdade que lemos para sentir coisas que nunca vamos sentir na vida real, esse foi o ingresso para uma “vida de segunda mão” mais realista que já tive.
É claro que ainda estou esperando conhecer um vampiro de fato e viver uma imortalidade eletrizante, mas esse passeio no corpo de Bella foi uma experiência da qual pretendo me lembrar para sempre.
Portanto, se você quer se apaixonar perdidamente por um vampiro, ter um amigo lobisomem e se descobrir com super-poderes, leia esse livro antes de qualquer outro e se perca nele.

Sinopse:
Quando Isabella Swan se muda para a melancólica cidade de forks e conhece o misterioso e atraente Edward Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com corpo de atleta, olhos dourados, vez hipnótica e dons sobrenaturais, Edward é ao mesmo tempo irresistível e impenetrável. Até então, ele tem conseguido ocultar sua verdadeira identidade, mas Belle está decidida a descobrir seu segredo sombrio.

4 comentários:

  1. Você tem um olhar sui generis sobre o livro. Gostei muito!

    ResponderExcluir
  2. 1º Adorei o layout do Blog, show!
    2º Sua visão sobre os livros de Vampiro, é exatamente a minha. Só aprovava e idolatrava Anne Rice, o resto tinha preconceito e nem tentava ler...enfim em 2005 pintou Stephe e...d lá p k, venho explorando outros territórios do gênero, com a "mente aberta"!!
    Bjs e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada, Vivi! Que bom que você gostou!!!

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Dani, também estou explorando novos territórios graças a Stephenie Meyer.
    Logo, logo, vou fazer um post sobre a série True Blood da HBO. Espero que você goste :)

    ResponderExcluir