segunda-feira, setembro 09, 2013

A Confissão da Leoa, Mia Couto



Mia Couto não me era um nome estranho, conhecia apenas bem de passagem. Em primeiro lugar, descobri a pouco tempo que se tratava de um homem e, apenas após esta leitura, fiquei sabendo que era africano. Pois é, gente, vivendo e aprendendo!
Minha amiga, que me conhece melhor do que eu mesma, me deu essa jóia autografada (fotinho abaixo)!!! 
Eu não tinha idéia do que esperar dessa leitura. Talvez um monte de tristezas e pobreza que, apesar de me fazer sentir mal, estão muito longe de mim (ainda bem!).
No entanto, descobri que podia me relacionar inteiramente com o tema desta obra. Como mulher, me identifiquei com os seres subestimados e maltratados da aldeia. Mesmo com o ataques dos leões, elas não foram poupadas da submissão e descaso. Ainda tinham que cuidar das suas criações e cultivos no meio da selva, enquanto os homens enchiam a cara e "brincavam" de machos. 
Hoje, as mulheres acumulam trabalhos para serem respeitadas e conquistar a independência. Muitas são obrigadas a escolher entre a família e a profissão. Algumas se sentem culpadas por deixar os filhos em mãos estranhas enquanto trabalham fora. E, todas nós sabemos, temos que trabalhar em dobro para receber metade do reconhecimento dos colegas homens.
Sim, mulheres, ainda somos discriminadas. De forma camuflada, mas somos. 
Leitura mais do que recomendada!



Nenhum comentário:

Postar um comentário